Grande - Catavento

Teria o Fábio dor na coluna por carregar o Cruzeiro nas costas?

Em mais uma noite inspirada do goleiro celeste, Raposa arranca empate na Arena da Baixada e se prepara para receber o Galo no domingo

Não foi como das últimas duas vezes em que o Cruzeiro atuou como visitante, contra Corinthians e Botafogo. Em Curitiba, diante do Athletico-PR, a vitória não veio. Mas o jogo rápido no gramado sintético da Arena da Baixada e a força ofensiva do time da casa não impediram que a equipe comandada por Abel Braga pontuasse. O empate em 0 a 0 com o Furacão, na quarta-feira, pela 31ª rodada, deu ao time cruzeirense um ponto importante no objetivo de se afastar cada vez mais da zona de rebaixamento.

Aliás, desde que Abel assumiu a equipe, o Cruzeiro só não pontuou na primeira partida, quando perdeu para o Goiás por 1 a 0, no Serra Dourada, em Goiânia. Depois disso, foram nove jogos, com três vitórias e seis empates, totalizando 15 pontos conquistados em 27 possíveis (aproveitamento de 55,5%).

Diante do Athletico-PR, o Cruzeiro deu mostras de que foi até Curitiba para tentar vencer. No início do jogo, a Raposa foi para cima e chegou a trocar passes no campo de ataque, empurrando o time da casa para a sua área.

A notícia continua após a publicidade

CATAVENTO - Gif

A notícia continua após a publicidade

Mobile - Maria Bonita

O problema foi que as jogadas pelos lados, com Marquinhos Gabriel e Robinho, pela direita, e Egídio e David, pela esquerda, até saíam, mas a bola pouco chegava com qualidade para Sassá. Assim, o Cruzeiro passou a tentar chutes de média e longa distância, com Henrique, Robinho e Éderson, mas faltou calibrar a pontaria.

O Athletico, aos poucos, foi tomando as rédeas da partida e se lançando ao ataque, no seu melhor estilo, em velocidade pelos lados. O Furacão apostou em cruzamentos, é verdade, mas foi nas finalizações que os donos da casa fizeram aparecer o personagem da partida: Fábio. Com pelo menos cinco grandes defesas, só no primeiro tempo, o goleiro, mais uma vez, se credenciou a ser o melhor em campo antes mesmo de o jogo ir para o intervalo.

Veio a segunda etapa e, num lance isolado, aos 12 minutos, o Cruzeiro balançou a rede. Fábio deu um chutão para o ataque, a bola quicou, Sassá ganhou a disputa pelo alto com a marcação, saiu na cara do gol e só empurrou a bola para a rede do goleiro Santos. Seria o gol, se o atacante não tivesse usado a mão para levar a bola. O que parecia muito bom, ficou muito ruim, já que Sassá recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso.

Com um a menos desde os 14 minutos, coube ao Cruzeiro segurar a pressão do Athletico-PR, que foi menor do que a que o time da casa exerceu na primeira etapa, mas que não impediu que Fábio tivesse que trabalhar. Mesmo assim, foi o time cruzeirense quem esteve mais perto do gol, já que Ezequiel acertou uma bola na trave de Santos aos 41 minutos.

Confira os melhores momentos do jogo

Pelas circunstâncias do jogo, o ponto conquistado pelo Cruzeiro em Curitiba foi importante. O time segue pontuando no Campeonato Brasileiro e, aos poucos, se afastando do risco de rebaixamento, que ainda é real, já que a Raposa está em 14º lugar, com 34 pontos, três a mais que o Fluminense, primeiro time no Z-4.


CATAVENTO - Gif



Você também vai gostar Mais deste autor

Comentário

Carregando...
Rodapé - Qi
Mobile - Qi