CATAVENTO - Gif
Mobile - Qi

Nota Justificativa: O Suicídio do Urubu

O Portal Cidade Divinópolis se retratou sobre o fato que gerou reboliço na cidade ontem

Vale ressaltar que este que vôs fala é o responsável por tal texto  e que, ao meu ver foi um texto de utilidade pública. Aliás, este foi  desde o primeiro momento sua primordial função: Alertar para o mal estado de conservação que se encontra a cidade. Cheguei a citar Danilo Gentili, quando entrevistado pelo todo poderoso Roberto Justos. Ele veio com um tom moralista e disse que Danilo havia criado uma piada sem graça em relação aos judeus. Danilo disse que o teor da charge, da sátira e da piada é justamente esse, o de fazer que um tema polêmico seja debatido e tenha uma percepção diferenciada. Ele ainda alegou que se fosse o casso não poderíamos mais fazer piadas sobre loiras ou portugueses, e assim “lacrou” Justos, que concordou.

Danilo ainda disse que se você lê, ou ouve  em uma mesma frase, negro e macaco, não importando o contexto( ou o que o texto diz), a grande e esmagadora maioria das pessoas já tende a achar que o texto é racista, ou seja, já junta: negro macaco. É preciso entender que na sátira é necessário chamar a atenção das pessoas para que leiam, e assim foi feito com o título. Caso contrário ninguém leria.

OBS: o texto continua após o vídeo

A notícia continua após a publicidade

A notícia continua após a publicidade

Mobile - Maria Bonita

Ademais o texto é claro e deixa óbvio que se trata de humor com sentido válido e necessário: o cuidado com nossa amada Divinópolis. Outro ponto a se ressaltar é que as pessoas criticaram sem ao menos ler o texto, o que é uma vergonha. E que ainda apenas 1% dos que viram a postagem se manifestaram, o resto, devido a ferocidade dos comentários, teve vergonha de expor sua opinião ou preferiu se calar. O urubu somos todos nós, que pagamos impostos e taxas, mas que vemos escândalos como o da lava-jato e tantos outros, e, por fim, uma Divinópolis tão mal cuidada.


Grande - Catavento



Você também vai gostar Mais deste autor

Comentário

Carregando...
Rodapé - Maria Bonita
Mobile - Maria Bonita