Grande - Qi
Mobile - Qi

O milagre da vida: Mulher de 64 anos dá luz após 30 anos tentando engravidar

Norma Maria de Oliveira tinha o grande sonho de poder carregar um filho dentro da sua própria barriga. Ela tenta engravidar desde os 34 anos, tendo passado por vários tratamentos diferentes para auxiliar o processo, sem resultados. Mas sua hora chegou, e com 64 anos ela finalmente deu luz a uma pequena menina.

Ana Leticia nasceu prematura de 8 meses, com 1,7kg e 48 cm. A pequena está na incubadora, mas passa bem, assim como a mãe que ainda está repousando na maternidade Octaviano Neves, em Belo Horizonte. Foram 30 anos de batalha, mas tudo valeu a pena no final. “É bom demais. Então estou muito feliz. Nossa, acho que é a maior realização da minha vida”, Norma falou, em entrevista ao Bom dia Brasil.

O sonho da mineira se realizou a partir de uma fertilização in vitro (FIV), utilizando óvulos doados anonimamente e o espermatozoide do marido de 45 anos. Além de todas as complicações devido ao método e à idade de Norma, ela ainda enfrentava outras desvantagens ao escolher esse procedimento. “Geralmente, apenas uma em cada quatro tentativas de FIV dá certo logo na primeira tentativa”, explicou Rita de Cássia Amaral, ginecologista e obstetra da mulher.

A notícia continua após a publicidade

A notícia continua após a publicidade

Mobile - Maria Bonita

Toda gravidez in vitro é considerada de risco, e houveram cuidados redobrados devido à idade da mineira. Rita está acostumada a pegar casos arriscados, mas essa experiência foi novidade até para ela. “Trabalho com gravidez de mulheres com idades consideradas de risco, mas esta foi a primeira vez que atendi alguém com mais de 50”, disse.

A médica disse que Norma a procurou em junho, e desde então as duas fazem acompanhamentos quinzenais para garantir que tudo esteja nos conformes. Quanto mais velha a mãe, maiores as chances de complicações como hipertensão, diabetes e o aumento de bebês prematuros. Considerando todos os riscos, a paciente teve uma gravidez tranquila. “Não houve nenhuma ocorrência grave durante a gravidez. Ela desenvolveu um aumento leve de pressão e uma variação glicêmica, que já eram esperados para a idade”, Rita comentou.

Até o ano passado, mulheres com mais de 50 anos não podiam passar pelo procedimento in vitro. Mas, com as novas mudanças de regulamentação do procedimento, agora há maior flexibilidade. “Há poucos anos, nem se cogitava a possibilidade de uma mulher com mais de 60 anos engravidar. Acredito que a medicina tenha dado um passo à frente. Foi uma experiência nova e gratificante para todos os envolvidos”, disse Rita.

Norma está em êxtase com a nova filha e ainda não consegue acreditar que tudo deu certo depois de três décadas de batalha. “Nossa! A princípio eu não acreditei não, não acreditei que eu estava grávida. Aí fiquei assim, com medo também da decepção, a gente fica com medo de perder. Mas depois fui vendo que ela foi só desenvolvendo, a barriga desenvolvendo, a criança mexendo. Melhor sensação!”, disse emocionada

Por Metrópole – THAÍS ROSA


Grande - Catavento



Você também vai gostar Mais deste autor

Comentário

Carregando...
Rodapé - Qi
Mobile - Maria Bonita