CATAVENTO - Gif
Mobile - Política

Orçamento da Câmara prevê quase R$100 mil em lanchinhos

A Padaria Floresta venceu a atual licitação; Dentre os quitudes estão saladas de frutas, biscoitos de queijo e até x-egg, todos servidos para parlamentares e servidores nas reuniões às terças e quintas; Presidente da Casa, Rodrigo Kaboja afirma que o teto discricionário não deve ser atingido na totalidade

Sem mencionar parlamentares específicos, o presidente da Câmara Municipal de Divinópolis, Rodrigo Kaboja (PSD) disse, na última terça (04), em pronunciamento, que há um documento já assinado por parlamentares , pedindo para trocar por que o anterior, segundo eles, era “um lixo”.

 

 

A Casa poderá desembolsar até R$93.218,00 com lanches. Dentre eles está incluso, água com gás, biscoito de queijo, salada de fruta, diferentes tipos de bolo, sanduiche natural, pão de queijo, pão e até x-egg (confira lista abaixo). A Padaria Floresta saiu na frente e venceu a licitação pública. O valor das outras empresas e os nomes das demais, não foram reveladas. O orçamento é 37,6% maior que o levantado em descrito em 2019, que era de R$67.726,40.

A notícia continua após a publicidade

CATAVENTO - Gif

A notícia continua após a publicidade

Mobile - Cidade
Mesmo com a meta orçamentária, em 2019 a câmara não gastou nem 50% do montante. Foram abatidos dos cofres públicos R$33.622,98 para pagar com as despesas de lanches, que atendem aos 17 parlamentares e cerca de 150 servidores públicos e comissionados.
“Isso é uma expectativa de gastos, não acredito que a gente vá gastar o que se gastou no ano passado”, afirmou Kaboja.
Interrupção do serviço

 

Em ação reativa a cerca das críticas devido pelo aumento, o presidente fez menção a possível interrupção de interromper os gastos com a comida  servida nas terças e quintas, nas reunião ordinárias e extraordinárias.

“Temos 150 servidores, pessoas humildes, que aqui comem um pãozinho com café, barato. Esse vereador não come lanche aqui não. Então, para eu cortar de todo mundo, como eu cortei em dezembro e janeiro, não custa”, afirmou.

No entanto, Kaboja almeja que os vereadores assinem um documento solicitando a suspenção.

“Tenho documento ali pedindo, documento assinado por alguns vereadores aqui, para trocar o lanche, porque o lanche era um lixo. Está assinado, na licitação […] Do mesmo jeito que vocês pediram para trocar, gostaria que os vereadores fizessem um documento para eu cortar o lanche”.

 

 

No fim de 2019, o presidente da Casa chegou a pedir a interrupção dos lanches, para que houvesse uma tentativa de redução dos gastos discricionários, com os lanches.


Grande - Política
Mobile - Cidade



Você também vai gostar Mais deste autor

Comentário

Carregando...
Rodapé - Maria Bonita
Mobile - Maria Bonita