Grande - Cidade
Mobile - Cidade

Superintendência Regional de Saúde se reúne em alerta contra a dengue

As 53 cidades da região centro-oeste mineira apresentaram LIRA's preocupantes, com alta taxa de infestação

A Gerência Regional de Saúde, em preocupação com os altos índices de infestação do Aedes aegypti na região Centro-Oeste de Minas motivou uma reunião entre representantes de 53 municípios nesta segunda, (3), na sede da GRS, em Divinópolis.

Reunião com os representantes das 53 cidades da região centro-oeste mineira, na sede da Gerência Regional de Saúde. Foto: William Pacheco

 

Na reunião, foram analisados os índices de infestação nos municípios, novos fluxos de monitoramento da dengue e ações de mobilização social.

Edilberto Flávio dos Santos, coordenador da área temática de Vigilância em Saúde, explicou que cada cidade teve um mapeamento que foi estudado individualmente e, em seguida, foram mostradas estratégias para combater a doença ao longo do ano de 2020. Todos os municípios devem intensificar a luta, com ações de educação e mobilização social.

Agente da Semusa, em visita a domicílio, em Divinópolis.

Centro-oeste mineiro

 

Muitos munícipio do centro-oeste de Minas apresentaram altos númenos no Levantamento de Índice de Infestação Rápido do Aedes aegypti, (LIRAa). Segundo o Ministério da Saúde, o índice é considerado satisfatório quando fica abaixo de 1%; situação de alerta é quando está no intervalo entre 1% e 3,9%; e indica risco de surto quando é igual ou superior a 4%.

Divinópolis
O primeiro LIRAa do ano em Divinópolis deixou a cidade em risco de surto, conforme dados do Ministério da Saúde. O relatório divulgado em janeiro, apresentou resultado de 8,1%. No último LIRAa de 2019, o índice foi de 2,4% e deixava a cidade em situação de alerta.

Neste primeiro levantamento, foram 4.835 imóveis visitados entre os dias 6 e 10 de janeiro. De acordo com a Prefeitura, 92% dos focos do mosquito foram encontrados em residências e 8% em lotes vagos. Os bairros que tiveram mais focos encontrados foram Niterói, Manoel Valinhas, Danilo Passos, Icaraí e o Centro Industrial.

Atualização do quadro

O último Boletim Epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), no dia 21 de janeiro, apontou que em Nova Serrana e Santo Antônio do Monte foram registrados os primeiros casos de dengue com “sinais de alarme” na região Centro-Oeste de Minas em 2020.

A secretaria explicou que, diferentemente da dengue comum, casos indicados como “sinais de alarme” são aqueles que após a febre começar a ceder, o paciente apresenta outros sintomas como: dor abdominal intensa e contínua, ou dor a palpação do abdômen; vômitos persistentes; acumulação de líquidos; sangramento de mucosas; letargia ou irritabilidade; hipotensão postural; hepatomegalia maior do que 2 centímetros ou aumento progressivo do hematócrito.

Até o momento, foram notificados em todo o Estado oito casos de dengue com sinais de alarme, e outros dois casos classificados como dengue grave.

Ano passado

As cidades que integram a Superintendência Regional de Saúde (SRS) de Divinópolis fecharam 2019 com o registro de 21 casos de dengue grave.


Grande - Catavento
Mobile - Cidade



Você também vai gostar Mais deste autor

Comentário

Carregando...
Rodapé - Maria Bonita
Mobile - Qi