Grande - Qi
Mobile - Qi

Vigilância Ambiental alerta sobre micos mortos em Divinópolis

Foto ilustrativa.

A Vigilância Ambiental da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) encontrou, nesta quinta feira (01/02), na região do Bairro Esplanada dois micos mortos. As mortes não têm ligação com a febre amarela.

De acordo Coordenador de Vigilância Ambiental, Erson Ribeiro, o primeiro mico foi encontrado na Rua Mestre Pedro da Silva no Bairro Esplanada. O animal apresentava sinais de violência com um ferimento na boca.

A notícia continua após a publicidade

A notícia continua após a publicidade

Mobile - Qi

Já o segundo animal estava na ponte Nóia Bueno, entre os Bairros Esplanada e Antônio Fonseca, apresentava sinais de atropelamento.  “Assim que soubemos dos macacos nos deslocamos rapidamente para os locais para averiguar a situação”, contou.

Ainda segundo Erson, a maioria das causas de mortes de macacos e micos no município são choques elétricos, acidentes ou assassinatos.

De acordo com a diretora da Vigilância em Saúde, Janice Soares, o macaco é uma barreira natural para evitar que o vírus chegue até a população.

“É importante lembrar de que o macaco é como um guardião e alerta a população. Encontrar esses animais mortos de forma natural ao redor de áreas de mata pode indicar a presença do vírus na região, assim vai gerar a necessidade de campanha de vacinação das pessoas, antes que ocorram casos humanos da doença”, afirmou completou.

A Semusa esclarece a população que matar animais silvestres é crime passível de punição de acordo com a lei ambiental. “A febre amarela não é transmitida pelo macaco, os principais responsáveis pela contaminação da doença são os mosquitos haemagogus e sabethes. A vacinação é a melhor forma de prevenção”, finalizou Erson. Caso a população encontre um macaco morto pode ligar no 3221-3722.


Grande - Catavento
Bolsonaro Mobile



Você também vai gostar Mais deste autor

Comentário

Carregando...
Rodapé - Qi
Mobile - Qi