Digiqole ad

Galo sapeca quatro com “patrocínio” de Sampaoli O Atlético MG aproveitou da fragilizada Patrocinense e construiu o placar todo na primeira etapa; Resultado de 4 x 0 classificou a equipe alvinegra na terceira colocação do estadual

 Galo sapeca quatro com “patrocínio” de Sampaoli O Atlético MG aproveitou da fragilizada Patrocinense e construiu o placar todo na primeira etapa; Resultado de 4 x 0 classificou a equipe alvinegra na terceira colocação do estadual

Arana comemora após inaugurar o placar contra o Patrocinense | Reprodução/Atlético

O Atlético-MG não tomou conhecimento do adversário e goleou o Patrocinense, no Mineirão, por 4 a 0, sem nenhuma dificuldade. O jogo válido pela última rodada da primeira fase do Mineiro serviu para Jorge Sampaoli fazer observações, entre elas sobre o desempenho de Keno, que fez sua estreia com a camisa do Galo. Em linhas gerais, o treinador gostou do que viu. Mas destacou que há muito a evoluir.

“É um time novo, está evoluindo aos poucos, tentando entender a ideia, incorporar. Tudo é um processo. Estamos começando e há muitas coisas para corrigir” – Jorge Sampaoli.

– Falta muito, porque o plantel é novo, jovem, tem que compreender rápido uma ideia em todo esse contexto que estamos vivendo. Não pude contar com todos os jogadores no devido tempo. Faltam chegar alguns jogadores. Estamos em um começo, muito perto de começar o Brasileiro. Temos uma semifinal muito próxima. Temos que dar passos muito maiores do que os que pensamos originalmente para armar um projeto nesta característica.

Sobre o desempenho no jogo contra a equipe de Patrocínio, o técnico fez elogios. Segundo ele, apesar da fragilidade do adversário, o domínio do Atlético aconteceu também por méritos.

 

Jogadores Galo comemoração
Arana comemora após inaugurar o placar contra o Patrocinense | Reprodução/Atlético

 

– O fato de o rival ter sido totalmente dominado tem a ver também com a nossa conduta. Estivemos o tempo todo no campo adversário, tentamos armar muitas coordenações de ataque. Não tivemos contundência de forma proporcional às chegadas. Tivemos muito mais chegadas que contundência. O placar poderia ter sido muito maior se a equipe estivesse mais afinada no último terço.

O comandante atleticano também avaliou a estreia de Keno, que foi bem no jogo e participou de dois gols.

“Um extremo de um contra um, que nos pode dar esse nível pelos lados. Vem de muito tempo sem treinar, sem jogar. Serviu também para que ele ganhasse minutos”.

– Uma partida difícil, com um time como o América, que tem um rendimento muito bom neste torneio, com um processo mais avançado, muito mais que o nosso, que acabou de começar. Vai ser um jogo muito interessante.

– A complementação coletiva. A carência que tem a equipe é o pouco tempo que teve para transformar esta ideia em algo concreto. Todos os times que vamos enfrentar daqui para frente tem muita vantagem sobre nós de tempo de preparação, com times muito mais armados. Nós fizemos praticamente um time novo, muito perto do começo do torneio.

– A partida estava definida e também queríamos ver o envolvimento de alguns jogadores. A partida deu chances de fazer mudanças não diretamente vinculadas à partida, mas também para rotação de minutos de jogadores que precisavam disso.

Digiqole ad
Vinicius Xavier

Vinicius Xavier

Vinícius Xavier é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade do Estado de Minas Gerais, UEMG - Divinópolis. Escreve sobre vários temas, sendo atualmente repórter multieditorial e tendo como maiores paixões pautas da ciência, entretenimento, futebol, meio ambiente, política e tecnologia.

VEJA O QUE JÁ FOI NOTÍCIA...